Prefeito de Barra do Piraí conversa com comandante do 10º BPM sobre segurança pública

 

O prefeito Mario Esteves se reuniu na tarde desta quarta-feira, 12, em seu gabinete, com o comandante do 10º Batalhão de Polícia Militar (BPM), Vagner Mello, e o comandante da 1ª Companhia, Ricardo da Silva Santana. O chefe do Executivo chamou a atenção para os episódios de violência no município, em especial para a troca de tiros que aconteceu no último fim de semana, na Coleta. Ele pediu também a presença da PM no Polo de Emergência Municipal. As autoridades conversaram ainda sobre o projeto de implantação de um centro de monitoramento de câmeras, cobrindo toda a cidade.

 

O tenente coronel Mello explicou ao prefeito que Barra do Piraí é afetada, hoje, pelo que chamou de “fenômeno de geoempresário do tráfico". “Com a instalação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) na capital, muitas regiões do estado sofreram com a migração de traficantes. Aqui, mesmo aqueles que retornaram para as comunidades no Rio, deixaram seus contatos, para movimentarem o tráfico. Estamos acompanhando toda a situação e agindo no combate ao tráfico", disse.

 

De acordo com o comandante do 10º BPM, seis elementos foram detidos após a troca de tiros, na Coleta. O militar pontuou que as principais facções criminosas que disputam espaço no estado do Rio, atualmente, são o Comando Vermelho (CV) e o Terceiro Comando Puro (TCP). “Até pouco tempo atrás, não tínhamos esses grupos de forma organizada no município. Mas, hoje, é uma realidade. A população não precisa ficar alarmada, porque a PM está trabalhando intensamente no combate ao tráfico", reforçou.

 

Já o comandante Santana informou a Mario Esteves que cerca de 110 homens compõem o efetivo da corporação em Barra do Piraí. Cerca de 35% da frota de veículos da PM está parada no momento, o que prejudica o atendimento aos bairros e distritos. “O nosso efetivo é suficiente, mas a frota tem sido um problema. De qualquer maneira, estamos nas ruas, protegendo a população", afirmou.

 

Após pedir a presença permanente de um policial no Polo de Emergência Municipal, Mario Esteves reiterou o compromisso de encontrar, o mais breve possível, uma solução para o caso envolvendo a sede da 1ª Companhia. O chefe do Executivo aproveitou o ensejo para falar a respeito do projeto de implantação de um Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), nos mesmos moldes do que existe em Volta Redonda.

 

“Estamos falando de monitorar a cidade com 300 câmeras, incluindo os distritos. A central funcionaria com a presença da Guarda Municipal, da PM e quem sabe até da Polícia Civil, integrando as forças de segurança pública em um só objetivo, de garantir mais proteção às pessoas. É um projeto efetivo da nossa gestão, que será implementado. Quero contar sempre com a parceria da Polícia Militar e de todas as instituições do segmento", enfatizou Mario Esteves.

JoomShaper