Secretaria de Assistência Social assina termo de colaboração com Apae e Pestalozzi

 

A secretária de Assistência Social, Paloma Blunk, assinou nesta terça-feira, 18, o termo de colaboração que permitirá à Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e à Pestalozzi de Barra do Piraí receberem repasses oriundos da pasta, através do Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS). A verba que será mensalmente destinada às duas instituições é de aproximadamente R$ 5,5 mil, e a parceria foi autorizada pelo CMAS. Além de Paloma, assinaram o documento a presidente da Apae, Aline Morenno, e o presidente da Pestalozzi, Walmir Francisco da Silva.

 

A verba em questão vem do governo federal, voltada especificamente à prestação de serviços para crianças com necessidades especiais. Como a secretaria de Assistência Social não tem estrutura para o atendimento dessa parcela da população, a parceria com instituições como a Apae é o caminho. Aline Morenno destacou a importância desse recurso, em especial diante da crise financeira que a entidade atravessa. “O repasse não foi feito durante todo o ano de 2016. Esse dinheiro nós usamos para inteirar os salários dos funcionários, ainda mais neste momento delicado que vivemos. Tem gente que acha que R$ 5 mil é um valor pequeno, mas não é. Pelo contrário. É muito importante”, disse.

 

Da parte da secretaria de Assistência Social, Paloma Blunk avalia como fundamental a contribuição que a Apae e a Pestalozzi dão ao município. "São instituições que estão há muitos anos cuidando, com extrema competência, de crianças que necessitam de uma atenção mais especial. Se a Apae, por exemplo, fechar as portas, como vão ficar as famílias atendidas? Isso não pode acontecer e a prefeitura está dando todo o suporte para que eles sigam trabalhando e se dedicando com tanto carinho nessa missão”, ponderou.

 

A psicóloga aproveitou a oportunidade para comentar as mudanças que vêm ocorrendo na gestão da Assistência Social em Barra do Piraí. "Estamos priorizando o trabalho em parceria com organismos como o CMAS e demais conselhos, sempre buscando o diálogo. O olhar da administração pública sobre as questões que envolvem a ação social deve ser macro, ou seja, as situações devem ser enxergadas como um todo, e não por um viés apenas de assistencialismo. O termo de colaboração com a Apae e a Pestalozzi é um exemplo concreto de fruto positivo desta nova gestão que está nascendo”, finalizou. 

JoomShaper