Saúde Coletiva promove ação no Dia Mundial Sem Tabaco

DSC_8238.JPG

 

O departamento de Saúde Coletiva, da secretaria de Saúde da prefeitura de Barra do Piraí, promoveu ação de conscientização a respeito dos malefícios que o tabaco provoca aos usuários do cigarro. A proposta foi realizada na quarta-feira, 31, na Praça Nilo Peçanha, com distribuição de panfletos aos que transitavam pela área de lazer e teve a participação de integrantes do Programa de Controle e Tratamento do Tabagismo, adictos e integrantes daquela autarquia.

 

O Dia Mundial Sem Tabaco é uma ação desenvolvida no mundo inteiro, com o propósito de exterminar o uso da nicotina e seus derivados e conscientizar a população sobre os malefícios do cigarro. No município barrense, desde 2011, o Programa de Controle e Tratamento do Tabagismo inseriu neste contexto mais de 900 pessoas, que passaram por encontros e discussões a respeito do tema, que tem levado milhares de usuários à morte pela dependência do tabaco, que é considerada doença crônica não-transmissível.

 

A coordenadora o Programa de Controle e Tratamento do Tabagismo, a enfermeira Lucília Joel Ferreira, explicou que o programa é dividido em diferentes fases, com duração de um ano. Na primeira delas, o adicto participa de cinco sessões semanais; em seguida, três a cada 15 dias e, antes de completar um ano, uma vez ao mês. Porém, admite que é difícil que as pessoas fiquem nesta ação, vez que os participantes acham que “vão pegar a medicação e fim”.

 

“Mas não é isso. Não é apenas repor a nicotina. Muitos ficam e passam as fases do processo; outros, não conseguem. É uma dependência grande, que, pela Organização Mundial de Saúde (OMS), é dividida em três tipos, a começar pela física, quando há a falta de nicotina; seguido da psicológica, que surge de acordo com sentimentos e emoções; e, por fim, a comportamental, que está relacionada aos hábitos do paciente”, explica, acrescentando que, no país, estima-se que cerca de 10 milhões fazem uso do cigarro constantemente.

 

E é através de campanhas como esta, e do Programa de Controle e Tratamento ao Tabagismo que várias pessoas se recuperaram e seguem firme no propósito de pararem de fumar. Foi o caso de Luzimara da Silva Vieira, que está no programa há três meses e fumou durante dez anos. Segundo ela, o que a fez parar com o cigarro foi a vontade de buscar o bem-estar pra si.

 

“Comecei a fumar com 17 anos, com colegas, por ver um charme naquilo. Agora, resolvi parar porque percebia que não era nada saudável fumar. Eu estava meio obesa e vi que parte daquele alto peso era por conta da nicotina. Foi quando decidi parar conhecendo o programa, em que estou há três meses e estou bem melhor; já emagreci o que pretendia e estou bem comigo assim, sem o cigarro”, aponta Luzimara.

 

Quem também fez menção ao projeto foi Maria Aparecida Pereira Messias, que participou, junto com as demais, da conscientização. Ela enalteceu a figura de um programa como este para aqueles que desejam parar de fumar. “Não é fácil; não foi fácil. Fumava desde os 13 anos e deixei de fumar há dois, quando entrei no programa. Estou muito satisfeita. Eu trabalho na Saúde, mas precisava de um ‘empurrão’, e, com a ajuda e conselhos deles, eu entrei e busco passar adiante”, agradece.

 

O Programa de Controle e Tratamento ao Tabagismo é todo centralizado no Posto de Saúde Albert Sabin, à Rua Angélica, nº238, no bairro Santana. As inscrições já podem ser feitas a partir desta segunda-feira, 5, de 9 às 12 horas e de 13 às 16 horas. Ao todo, são oferecidas 40 vagas. Os interessados devem estar munidos de original de CPF, Identidade, Cartão SUS e Comprovante de Endereço.

 

Por Frank Tavares e fotos de Raoni Carmo

JoomShaper