Vacinação contra Febre Aftosa acontece em todo mês de novembro

WhatsApp_Image_2017_11_07_at_17.35.09__1_.jpeg
 
A Prefeitura de Barra do Piraí, por meio da Secretaria de Agricultura, iniciou nessa terça, 7, a distribuição da segunda dose das vacinas contra Febre Aftosa e Brucelose. As campanhas de Febre Aftosa e Brucelose acontecem em maio, quando o rebanho inteiro é vacinado, e volta a acontecer em novembro, com a imunização do rebanho até 24 meses. Ao longo deste mês, os produtores rurais devem regularizar e vacinar seus rebanhos.  
 
Chefe do Núcleo de Defesa Agropecuária, Patrícia Diniz deu explicações sobre a fiscalização do programa de vacinação do Governo Federal e Estadual.  “A Febre Aftosa é uma doença grave que ataca todos os animais com cascos fendidos: bovinos, bubalinos, caprinos, ovinos, suínos e outros. A Brucelose bovina é uma doença infecciosa dos animais e do homem; uma zoonose. É a principal causa de abortos animais, acompanhada algumas vezes de infertilidade temporária ou permanente, nas fêmeas, causando grandes perdas econômicas”, completou. 
 
A servidora informou que a vacina de Brucelose está sendo fornecida pela prefeitura, porém, ao contrário da vacina contra Aftosa (que pode ser injetada pelo próprio produtor), a imunização da Brucelose tem que ser administrada por um veterinário cadastrado no Núcleo de Defesa. “Vacinem o gado, tratem do seu rebanho e saibam que nós trabalhamos em prol da sanidade do negócio de vocês. A gente quer fiscalizar, mas a gente não quer punir, a gente quer educar”, afirmou. 
 
Segundo o secretário de Agricultura, José Mauro Leite Lima, a vacinação é obrigatória e a pasta disponibiliza gratuitamente até 50 doses da vacina para o pequeno produtor. O produtor pode procurar a secretaria para informar o número de cabeças de gado em seu rebanho. Acima deste número, é recomendado que o criador de gado adquira essas doses em um loja de produtos agropecuários. 
 
“Visando minimizar os gastos do agricultor, temos veterinários da prefeitura disponíveis para ir até a fazenda e fazer a vacinação. Existem vários tipos de vírus, com os mais variados graus de infecciosidade e os prejuízos são muitos: interdição da propriedade, proibição do trânsito de animais e comercialização de seus produtos e subprodutos em áreas de foco e sacrifício de animais. Não queremos que haja interdição da Defesa Sanitária Animal por conta de irregularidade”, frisou o secretário.
 
Dono de fazenda no distrito de Ipiabas, com 250 cabeças de gado, Flávio Barreto Gonçalves foi um dos produtores presentes na abertura da campanha de vacinação e falou sobre a integração do homem do campo com o homem da cidade.
 
“Estou muito satisfeito com a campanha porque, fazendo a sanidade animal, inclusive com a vacinação contra Brucelose, evita muitas doenças. O fazendeiro no campo, por si só, não tem condições de fazer essa vigília, isso deve ser feito por um técnico. A prefeitura, nos dando esse gancho de alavancar o homem do campo, está contribuindo para o progresso da região e está, também, incentivando-nos a produzir mais”, declarou o produtor.
 
O prefeito Mário Esteves, em seu discurso, ao falar sobre o governo, declarou estar valorizando a Secretaria de Agricultura. “Estou buscando incluir Barra do Piraí nas demandas de Brasília e envolver o Ministério da Agricultura nos projetos da cidade. Está sendo um desafio porque, após oito anos de inadimplência, chegamos ao governo em janeiro de 2017 e queremos ‘limpar o nome’ da prefeitura para melhorar a saúde financeira municipal. Apesar das dificuldades, eu acredito que o ano tenha sido positivo”, afirmou o Chefe do Executivo.
 
O cadastro para receber as vacinas pode ser feito na própria Secretaria de Agricultura, que fica no prédio do Banco do Brasil, no Centro de Barra do Piraí. Para fazer a declaração de defesa, os agricultores devem se encaminhar para o Núcleo de Defesa Agropecuária, que fica no bairro da Química, perto do Parque de Exposições.
JoomShaper